Categorias: Meio ambiente

Voluntariado

59790-O9IFTV-535Eu acho que nunca compartilhei com vocês, mas eu amo voluntariar! Está no meu DNA, não é possível rs.

Eu acho que nunca compartilhei com vocês, mas eu amo voluntariar! Está no meu DNA, não é possível! rs

Comecei lá em Presidente Prudente, no Hospital Regional do Câncer, em 2008. Trabalhando na ala infantil, eu brincava com as crianças enquanto elas aguardavam as consultas. Foi uma experiência bem difícil. As crianças eram muito novinhas e vê-las naquela condição não era nada fácil… porém foi muito gratificante poder ajudá-las de alguma forma em um momento tão delicado.

Depois comecei em um asilo de idosos, chamado Haro Park House Living, em Vancouver. Eu era responsável pelo bar e pela entrega de sorvetes todo domingo, era engraçado mas não era qualquer pessoa que podia ingerir álcool, então às vezes era preciso dar vinho sem álcool para alguns devido restrições, rs (uma vez entreguei errado para um senhor que não podia beber álcool e na distração foi com e para destrocar foi um sufoco rs).

Depois comecei a me voluntariar em um asilo de idosos, chamado Haro Park House Living, em Vancouver. Eu era responsável pelo bar e pela entrega de sorvetes, todo domingo. Era engraçado, mas nem todo mundo podia ingerir álcool, então às vezes era preciso dar vinho sem álcool para alguns, devido a restrições (uma vez entreguei errado para um senhor que não podia beber álcool, e na distração, foi a garrafa errada. Para destrocar foi um sufoco. rs).

Nesse período, resolvi ajudar uma ONG chamada Green Chair Recycling, na qual coletávamos resíduos sólidos nas ruas para posteriormente ir para a reciclagem, ou seja, éramos “catadores de lixo”. Foi bem interessante. Os moradores nos aplaudiam nas calçadas dizendo: muito obrigado por limpar minha cidade (ô, cidadezinha suja! #sóquenão).

Sem título

Eu de gari rs (nossa como estava frio esse dia, argh)

Aqui no Brasil, fui professora de inglês em uma ONG chamada Cidadão Pro Mundo; são quase 500 voluntários espalhados por São Paulo, que ensinam inglês em escolas municipais para a comunidade. Para falar a verdade, nunca havia ensinado alguém antes, então a princípio, ficava um pouco ansiosa, mas no fim deu tudo certo. =)

10570277_599473913541567_3971199436823672633_n

Eu, uma outra volunteacher (assim somos chamados lá rs) e nossos alunos.

Agora sou voluntária da Fundação Alphaville, cuja mantenedora é a empresa Alphaville Urbanismo. A fundação tem trabalhado pelo Brasil inteiro e já beneficiou mais de 400 mil pessoas.

YGcgpNTN

Eu sou nova lá, faz apenas dois meses que frequento a Fundação (um baby ainda rs), mas é um prazer poder trabalhar com crianças novamente. Estou supercontente!

O mais legal é que o espaço é totalmente sustentável; o telhado é feito de bambu, paredes feitas de garrafas e barro, os vidros foram reutilizados de outra obra, há sistema de captação de água da chuva, energia solar e uma horta orgânica bem diversificada.

Quem quiser conhecer, basta juntar dez pessoas que eles fazem um tour pelo espaço.

Foto-CES

CES Alphaville. http://falphaville.agenciafrutifera.com.br/centros-de-sustentabilidade/ces/

Categorias: Meio ambiente

Telhas feitas de Pasta de Dente

economia

Nessa semana, foi a virada sustentável aqui na nossa cidade. Aproveitei para dar um pulo na segunda feira de Sustentabilidade promovida pela CES Alphaville. Lá eu vi de perto uma empresa que já tinha visto naquele programa Grandes ideias, pequenos negócios de uma emissora brasileira, essa empresa faz telhas e placas a partir de tubos de pastas de dente. Essa ideia faz parte da economia circular, que a parte restante do processo de um produto, por exemplo, são reaproveitados na parte de outro processo para produzir um novo produto.

Vamos para a parte legal, a parte prática rs.

A empresa recolhe cerca de 100 toneladas de pastas de dente de empresas doadoras.

Essas pastas vão para um triturador, aonde serão moídos, mas antes são retiradas as tampinhas que as envolvem. Para cada placa, são utilizadas mil tubos de pasta de dente.

Depois seguem para serem prensados a quente, aonde ganharão fôrma de telhas.

Elas têm vantagens sobre a telha comum, baixa absorção de calor, alta resistência físico-mecânica, bom isolante acústico e fácil corte e fixação.

Olhem a amostra que peguei lá =)

image1 image2

A telha fica assim:

telha_gd

Fonte: Ecotop

Um ótimo começo de semana para todos !