Categorias: Meio ambiente

Árvores Urbanas

CAPA ARVORES

 

Meus brotos! Que saudade eu estava de escrever para vocês! I’m back! =D

Hoje vou falar um pouco sobre nossas árvores urbanas localizadas nas vias públicas. (Embora nem todo mundo fique apreciando uma bela árvore como eu, até porque nessa correria de lá para cá, fica difícil parar um pouquinho, não é mesmo?)

Mas sabia que essas bichinhas fazem um bem danado para a gente? Na verdade, elas são umas mãezonas, porque olha só: proporcionam sombra (é que agora está um friozinho gostoso, mas fica parado na Paulista meio dia no “verãozão” para você ver! kkk), servem como barreira natural contra ventos e ruídos (ai ai… aquele bi bi bi de carro é chato demais, né?!), e não menos importante, elas retêm água da chuva, diminuindo assim o problema das detestáveis enchentes (meu pai já perdeu um carro em um desses temporais =´[ ). Ah! Também é uma questão de saúde pública, já que as árvores diminuem a poluição do ar, ao sequestrar e armazenar carbono (podem capturar esses “moços” aí que ninguém vai pagar pelo resgate, hein! rs).

Passando por algumas esquinas, dá para notar que as árvores estão grandes demais para seus espaços, e que em dia de chuva, árvores caem na cidade e deixam partes da cidade sem luz, porque quando caem, podem levar a fiação elétrica junto, e ainda podem destruir carros ou ferir pessoas.

São Paulo tem um índice de queda de árvores a cada três horas, e o número de quedas aumentou em 77% entre janeiro e outubro de 2014. A estimativa é a mesma para o período equivalente em 2015 (levantamento feito pelo site Fiquem sabendo). Mas por quais motivos as árvores caem tanto?

ARBORIXSFS

Fonte: Manual Técnico de Arborização Urbana – Prefeitura de São Paulo

 

Primeiro porque elas estão plantadas de maneira inadequada, impermeabilizadas até o tronco (sujeitas a infestações de pragas e doenças). Segundo, porque as plantas não recebem adubos para crescerem saudáveis e são podadas erroneamente.

Imagino que muitas plantas caíram e não foram plantadas novos exemplares no lugar. São Paulo poderia ter mais verde, como notei na cidade de Montevidéu e no Uruguai, quando fiz um mochilão no ano passado (2016). Estou adorando ver jardins verticais no Minhocão e nos muros da avenida 23 de Maio. Concordam que a cidade fica muito mais charmosa e saudável quando é mais arborizada?

Podemos fazer nossa parte e plantar árvores na calçada, sabia? Qualquer um pode arborizar seu bairro, desde que siga algumas regras, é claro (veja no manual quais são elas).

Há pessoas que reclamam da árvore do vizinho, porque ela suja sua casa ou destrói seu piso, mas é porque tem que saber escolher a espécie certa; há algumas que quase não sujam o chão. A prefeitura lançou um manual técnico de arborização urbana em 2015, que fala tudo sobre as espécies arbóreas corretas para calçadas (vou disponibilizar no final deste post).

 

cassia_carnaval

Parecem cachos de uvas, não é mesmo? Esta é a Acácia (Cassia spectabilis), famosa na cidade.

Quando for fazer seu paisagismo em casa, prefira utilizar espécies nativas brasileiras (cerca de 90% da vegetação usada no paisagismo é de origem estrangeira). A tendência dessas plantas ornamentais é serem extintas da fauna e flora locais. Também, pelo fato de a maioria das pessoas sempre optar por usar as mesmas plantas em seus jardins, há menos biodiversidade e menos geração de serviços ambientais, prejudicando assim o meio ambiente.

nativas paisagismo

Canudo-de-pito (Dichorisandra hexandra), Vedélia (Sphagneticola trilobata) e Begônia (Begonia sp.). Fotos: Fred Kendi apud Haus

>> Manual Téc. de Arborização urbana. Disponível em: https://www.sosma.org.br/wp-content/uploads/2015/03/MANUAL-ARBORIZACAO_22-01-15_.pdf

Deixe seu comentário